O Victoria Pedretti Brasil é um fã-site dedicado à atriz norte-americana Victoria Pedretti, sendo a primeira e mais completa fonte de informações sobre a própria e estando no ar desde abril de 2020. Feito de fãs para fãs, o VPBR não possui fins lucrativos, tampouco mantém afiliações com Victoria ou sua equipe, amigos e familiares. O intuito do site é unicamente expandir o trabalho da Victoria, por meio da divulgação de notícias, projetos, entrevistas traduzidas, campanhas publicitárias, ensaios fotográficos e mais, além da atualização de uma galeria repleta de fotos em alta qualidade.

Quando você aperta o play em The Haunting of Bly Manor da Netflix, você encontrará uma protagonista que se parece muito com Nell Crain de The Haunting of Hill House. Ela terá os mesmos olhos azuis marcantes e rosto aberto que pode ser desesperadoramente esperançoso e devastados ao mesmo tempo. Seu nome é Dani Clayton e ela é interpretada pela mesma atriz de Hill House, Victoria Pedretti, agora com um cabelo loiro dourado para o papel.

Mesmo com todas as semelhanças físicas — e o fato de que Dani também vem do mesmo criador de Haunting of Hill House, Mike Flanagan Pedretti reza para que você não entre na Mansão Bly esperando ver flashes da pobre e condenada Nell. Se você cometer esse erro, você perderá todo o ponto de Bly Manor.

Visitando o set de Blay Manor em Vancouver em janeiro, a Refinery29 perguntou a Victoria se os seus fãs deveriam estar esperando mais de Nell dessa vez — ou até mesmo um pouco da sua personagem  em You, Love Quinn. “Eu espero que não. Eu espero que todo personagem seja diferente. Claro que sempre terá o meu corpo e meu rosto. Essas coisas podem mudar com o tempo, mas sim. Eu espero que não seja isso que eles estejam procurando” disse ela para o repórter no grande saguão da mansão.

“Eu espero que eles estejam apenas tentando entrar em uma nova história e conhecer uma nova personagem, que seja, realmente, bem diferente dessas duas pessoas” acrescentou ela. “Espero que as pessoas gostem da Dani, tenham empatia, se conectem e se relacionem com ela.”

A Dani imediatamente lhe dá muito para se relacionar, do momento em que você a conhece no primeiro episódio de Bly Manor “A Great Good Place”. Dani é uma mulher que foge de algo terrível do seu passado — algo que vem mais do nosso plano mortal do que os espíritos de Bly. O medo de Dani — e a tristeza — passam consistentemente em seu rosto quando ela acha que ninguém está olhando. Esta é uma mulher que era perseguida muito antes de colocar seus pés na Inglaterra. Enquanto a filha mais nova dos Crain em Hill House, Nell, teve suas variadas tragédias, Pedretti forjou uma relação inteiramente diferente com a bagagem de Dani para Bly.

“Na primeira temporada, a maior parte do tempo que eu estava na casa, ela já estava quebrada e destruída ao longo de muitos anos de vandalismo” Victoria explicou. “Bly era vívida. Bem viva. Há um calor nisso. Há pessoas na casa que estão cuidado dela e a amam.”

É por isso que, apesar do terror da Mansão Bly, Dani vê esperança na sua nova casa e da sua “família improvisada”, como o escritor Flanagan disse no set, mais do que qualquer coisa. “Na primeira temporada, a Residência Hill sempre foi apenas um lugar onde estava mergulhado todo esse trauma que Nell havia vivenciado quando criança. Era um símbolo de muitas coisas, inclusive sua mãe. O que foi muito triste.” continuou Pedretti. “Em Bly, é uma oportunidade para Dani ver algo que nunca havia visto antes. Ela não cresceu muito bem. Estar dentro desta grandiosa casa é desorientador e intimidador. Mas, ao mesmo tempo, o que Dani realmente encontra é o que há de mais rico na casa: as pessoas, os relacionamentos e o amor.”

Enquanto o “amor” parece definir o tempo de Dani pela Mansão Bly, Pedretti insiste que é no amor próprio que os fãs precisam reconhecer na sua história. “Seja verdadeiro para si mesmo. Ninguém irá te dar permissão para ser quem você é ou quem você imagina para você mesmo. As vezes, como conhecemos nos mesmos é completamente fora de qualquer meio superficial.” ela diz, considerando o significado do seu trabalho como Dani. “Não tem nada a ver com suas qualidades exteriores. Nós somos almas e temos desejos, necessidades e ideias sobre o mundo.”

Pedretti reconhece que pode ser “assustador” a agarrar a parte de nós que “existem fora de algum tipo de norma social” — especialmente quando as pessoas confundem honestidade com “fazer um rebuliço”. Mas ela pediu aos espectadores de seguir os passos “confidentes” e “empoderados” de Dani de qualquer maneira. Como disse Victoria, “Ainda vale a pela escolher em ser corajoso e ser o mais você que pode ser.”

 

Fonte: Refinery29

Tradução & Adaptação: Equipe VPBR

 

deixe seu comentário






layout desenvolvido por lannie d. - Victoria Pedretti Brasil